domingo, 13 de fevereiro de 2011

A política e cotidiano

A política e cotidiano:
 A política e seus valores se manifestam em relações sociais em que prevalecem a competição, a concorrência e a hostilidade entre os indivíduos.nossa visão de mundo fragmentada reflete os valores de um sistema econômico que se alimenta da exploração do trabalho e funciona com base na troca, mercado, numerário, lucro. Se a política faz segmento de nossa vida, estando presente em todas as relações sociais, por que essa forma de vivência não é consciente em nosso cotidiano? por que a participação política do sujeito é tão limitada?.Muitas vezes, porém, não temos consciência disso, não percebemos porquê nossas escolhas individuais podem contribuir para solidar uma situação instituída ou para esclarecer as contradições sociais.todos esses problemas nos dizem reverência e somos responsáveis por eles, pois participamos da vida da sociedade e dos conflitos que nela ocorrem, daí a relevância de conhecermos o processo político e dele participarmos, pois todas as decisões de nossos representantes no parlamento nos atingem direta ou indiretamente.os indivíduos, membros da sociedade social, têm sua vida afetada por decisões políticas tomadas pelo poder institucional, que elabora as leis que os que regulam a sociedade.
               Na atividade política institucional que se manifesta em discursos ou ações de políticos ou do estado, interesses de uma classe social são apresentados porquê interesses de toda a sociedade.) ou das chances que a sorte lhe oferece. as explicações para os acontecimentos baseiam-se na natureza humana e não nas desigualdades e conflitos que caracterizam a estrutura social. na sociedade social, os meios de notícia de tamanho, a escola, as igrejas, as empresas e a família veiculam uma tradução parcial da verdade, em que o quidam, solitário, é responsabilizado pela situação em que se encontra, porquê se ela dependesse exclusivamente de sua vontade, de suas características individuais (esforço, preguiça, perseverança, etc. embora a partilha da sociedade em classes e os conflitos sociais sejam evidentes, a sociedade sempre nos é apresentada porquê uma unidade. nesse contexto, fica difícil compreender e assumir nossa responsabilidade para com a coletividade
Vejamos alguns exemplos de porquê as decisões políticas nos afetam de modo direto ou indireto: as relações de trabalho são regulamentadas por uma legislação elaborada e sancionada por nossos representantes políticos; nela se estabelecem os direitos e deveres do empregador e do empregado. em momentos de crise econômica e recessão, muitos trabalhadores perdem seus empregos e procuram sobreviver porquê vendedores, lavadores de automóveis e outras formas de subemprego; seus filhos precisam desabitar a escola para facilitar no orçamento da família e acabam vendendo objetos nos semáforos. se nos dispomos a reivindicar nossos direitos por meio de uma greve, podemos suportar repressão policial. nosso chegada aos benefícios sociais, porquê saúde e instrução, também é prescrito por leis e ações advindas do congresso pátrio. há falta de escolas públicas, hospitais e moradias.se observarmos um pouco mais a verdade brasileira, veremos que ocorre uma intensa concentração de renda nas mãos de uma pequena parcela da população, enquanto uma povaléu se encontra nos limites da miséria. presos comuns são massacrados em penitenciárias. muitos camponeses lutam por uma distribuição equitativa da terreno, que lhes dê condições de viver de seu trabalho com pundonor. existem problemas de saneamento urbano, transporte, poluição. as mulheres ainda são discriminadas profissionalmente. enfim,  a lista parece infindável.
A forma de governo dos estados modernos é a democracia representativa, caracterizada pela constituição de poderes autônomos entre si (executivo, legislativo e judiciário), organizados com base na ordem jurídica instituída (constituição, leis, etc. podemos entender, em segmento, essas questões, ao considerar as condições modernas da política.), pela existência do voto secreto e universal e pela ação dos partidos políticos, que expressam a variedade de pontos de vista sociais.

              Nesse contexto, a participação política dos indivíduos parece limitar-se à escolha dos representantes para os cargos eletivos entre os candidatos de vários partidos. mas há também políticos que se dedicam aos favorecimentos, confundindo o espaço público com o privado, ao utilizar-se do poder que lhes foi representante para beneficiar grupos particulares. a ação política parece concentrar-se no estado, na estrutura institucional e na atividade dos políticos eleitos pela sociedade. estes, quer o enunciem claramente ou não, representam os interesses de grupos sociais: há políticos que se empenham na resguardo dos direitos civis, na ampliação dos espaços de participação política e no reverência à coisa pública, agindo com dedicação e transparência.

Professor Adriano M. de Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário